Ministro da Justiça abre a ICCyber 2012

warning: strpos() expects parameter 1 to be string, array given in /home/iccyber/www/sites/all/themes/iccyber2012/templates/node.tpl.php on line 21.

Representantes de 13 países se encontram em Brasília para discutir crimes cibernéticos

ICCyber 2012Iniciou-se nesta quarta-feira, 26, a IX ICCyber. Conferência Internacional de Perícias em Crimes Cibernéticos, considerado o maior evento brasileiro sobre crimes digitais, direito eletrônico e perícia cibernética. Organizado pela ABEAT – Associação Brasileira de Especialistas em Alta Tecnologia e chancelado pelo Instituto Nacional de Criminalística, com apoio da Polícia Federal Brasileira e do FBI, o primeiro dia de conferência contou com a presença de cerca de 600 pessoas, contemplando delegações representantes de 13 países.

O evento foi aberto pelo Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que deixou clara sua satisfação com um evento desse porte que trate assuntos tão importantes. “É crucial termos um momento de discussão em alto nível sobre crimes cibernéticos. A velocidade como as coisas acontecem transformam mundos e pessoas, por isso devemos seguir de perto esses avanços”, afirmou.

Em seu discurso de abertura, o Ministro enfatizou a relevância da tecnologia na vida das pessoas. “A tecnologia é extremamente importante para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, mas é preciso regulamentação”, finalizou.

Em seguida, Marcos Vinícius Garcia Lima, perito em computação forense do Instituto Nacional de Criminalística - INC, conduziu sua apresentação tendo como foco as pesquisas atuais e perspectivas futuras na área, salientando como um dos principais desafios o volume de dados gerados pelas atuais tecnologias de informação e comunicação (TIC), citando como exemplo que, no ano de 2011, a equipe de peritos em informática do INC examinou 2,23 petabytes, equivalentes a 2,3 milhões de gigabytes, nos cerca de 9.200 laudos periciais produzidos naquele ano.

O Agente Especial do FBI, Bryan Willet fez uma explanação sobre como agir para capturar os criminosos cibernéticos e utilizou a famosa operação do FBI, “Ghost Click”, como “case” em ações contra esse tipo de violação.

No período vespertino, aconteceram mais oito palestras e dois painéis, que brindaram os participantes com discussões relevantes sobre desafios atuais na área. César Augusto Faustino, da FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos, explanou sobre o tema “Fraudes Eletrônicas”. Adam Palmer, executivo da NORTON falou sobre desafios e soluções no mundo dos crimes cibernéticos.

Recheado de bons temas, o dia ainda teve Willian Caprino, executivo da Cielo, falando sobre clonagens de cartões e suas respectivas ações para contenção, entre outros. Em um dos auditórios ainda foi ministrado um mini-curso: “Como construir um processo de tratamento de incidentes”.

Área de exposição

Paralelo a conferência, um grande salão foi reservado para empresas exporem suas soluções tecnológicas contra os crimes cibernéticos. Companhias como Microsoft, Norton, EMC, TechBiz, dentre outras, expuseram novas tecnologias que são utlizadas e que estão sendo desenvolvidas para detecção e contenção aos crimes tecnológicos.

Itamar Carvalho, presidente da ABEAT, organizadora do evento, expressou sua alegria com os trabalhos do primeiro dia de conferência. “Ouvi dos participantes muitos comentários positivos sobre o encontro. Sem contar que a presença do Ministro Da Justiça mostra a força e importância da ICCyber no país”, comemorou Itamar, que frisou o apelo internacional do evento. “A presença internacional é uma constante em nosso evento. Este ano tivemos a inscrição de um executivo do Facebook, líder de relações com as Forças Policiais da Europa, Oriente Médio e África.

Nesta quinta-feira, dia 27, os debates continuarão. Serão mais oito palestras, duas, plenárias, dois painéis, além de um novo curso que será ministrado, sobre segurança em VoIP.

A IX Conferência Internacional de Perícias em Crimes Cibernéticos – ICCyber, acontece até o dia 28 de setembro no Royal Tulip Hotel, em Brasília.