O Departamento de Polícia Federal, a Diretoria Técnico-Científica e o Instituto Nacional de Criminalística, por meio do Serviço de Perícias em Informática (SEPINF), têm a satisfação de apresentar o evento ICCyber 2006 – III Conferência Internacional de Perícias em Crimes Cibernéticos.

Trata-se de um dos mais importantes Eventos de Tecnologia e Perícia em Informática existentes. Possui uma agenda com palestras e conteúdo técnico-científico, assim como, uma programação estruturada por Peritos Criminais Federais da área de Informática. O evento será realizado juntamente com a "First International Conference on Forensic Computer Science (ICoFCS)", com sessões de artigos técnico-científicos recebidos de participantes, previamente selecionados por uma Comissão Técnica de Avaliação.

A ICCyber 2006 é um evento internacional de grande porte, aberto para conferencistas de qualquer parte do mundo, sujeito a prévia análise de participação pelo Comitê Organizador. São esperados mais de 800 participantes de várias partes do Brasil e do Exterior.

Este ano a ICCyber 2006 se organizou para receber Autoridades Brasileiras e Internacionais, que serão recebidas pelo Presidente da Conferência, o Diretor-Geral da Polícia Federal do Brasil, Dr. PAULO FERNANDO DA COSTA LACERDA, pelo 1° Vice-Presidente, o Diretor Técnico-Científico, Dr. GERALDO BERTOLO e pela 2ª. Vice-Presidente, a Dra. ZAÍRA HELLOWELL. O Diretor-Geral da Polícia Federal do Brasil proferirá as palavras de abertura no dia 6 de novembro de 2006, em Brasília.A Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF) e a Fundação Polícia Federal de Apoio ao Ensino e à Pesquisa (FUNPF), entidades que organizam a ICCyber 2006, acreditam que a realização de uma conferência internacional de perícias em crimes cibernéticos atende a demanda de discussões científicas, em nível mundial, relativas às questões técnico-científicas e jurídicas referentes aos crimes cibernéticos.

O Coordenador do Comitê Organizador do ICCyber 2006, o Chefe do Serviço de Perícias em Informática, Dr. PAULO QUINTILIANO, destaca que o evento tem um papel de fundamental importância, visto que, por meio dessa conferência, procuram-se desenvolver técnicas novas e promover o constante aperfeiçoamento da área de perícia de Informática. Destaca ainda a possibilidade de intercâmbios técnicos e

Dr. Paulo Quintiliano
científicos entre os peritos criminais federais e outros profissionais brasileiros e estrangeiros envolvidos em atividades correlatas, como outros peritos e investigadores, cientistas da computação e juristas atuantes nessa área. Trata-se de uma ferramenta de incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento científico com foco no combate aos crimes cibernéticos através da participação efetiva dos peritos criminais federais de Informática e de outros policiais brasileiros e estrangeiros, além de técnicos e representantes da sociedade, promovendo uma aproximação maior com outras comunidades da computação, da justiça e da sociedade forense.

Outro fator que motivou o surgimento deste evento foi a necessidade de se estreitar o relacionamento com a comunidade científica internacional da área, bem como com organismos internacionais, como a "Rede 24/7" e a Interpol, dentre outros. Um dos grandes objetivos é a implantação de um sistema ágil de cooperação policial internacional específico para o combate dos crimes cibernéticos, principalmente daqueles que têm efeitos em vários países.